Maritime Museum Amsterdam

Este slideshow necessita de JavaScript.

A museografia do novo Museu Marítimo de Amsterdam foi objeto de um concurso público Europeu, do qual saiu o Atelier Brückner de Stuttgart vitorioso na exposição de coleção de objetos.

As coleções foram divididas em diversas salas, correspondentes à metade de dois andares do prédio recém restaurado.

A exposição da coleção de mestres da pintura contou com 4 salas. O circuito tem início com o prólogo, onde o visitante entende a arte e o processo de pintura. Ao longo do percurso, definido por uma passarela que parece boiar sobre águas, a história das pinturas é contada por períodos. Um corrimão segue o caminho definido pela passarela e serve ao mesmo tempo de obstáculo físico e suporte para as informações sobre cada exemplar. Neste corrimão encontram-se também, alguns objetos importantes como um pincel original, ou itens interativos com áudio. Os quadros são fixados individualmente em postes, e parecem flutuar no espaço.

Em seguida surge a exposição de globos terrestres e celestes. A cenografia desta exposição foi baseada nos teatros antigos, pois a representação gráfica do globo terrestre sempre trazia alguma referência teatral, na época. Assim, o visitante é recebido pelos globos principais e pinturas de seus proprietários posando com a mão sobre o globo em exposição. Na sequência, cada vitrine apresenta um gráfico em detalhe de um globo como pano de fundo para este objeto. O epílogo finaliza com uma projeção interativa sobre a evolução dos globos terrestres e celestes.

A próxima sala é a que recebe a coleção “glass, silver and porcelain”. Uma grande mesa de banquete, domina o espaço. Nas pontas, uma projeção interativa, indica a procedência de cada peça e os detalhes impressos em pratos e copos. No centro da mesa, a coleção de louças, cristais e prata de propriedade dos donos de embarcações, muitas vezes recebidas como pagamento. Nas paredes laterais da sala, duas extensas cristaleiras exibem peças especiais com inscrições em ouro, ou comemorativas de algum evento.

O circuito deste pavimento se encerra com a galeria de coleção de modelos de veleiros. os “Yacht models” apresenta uma imensa vitrine central, com inúmeros modelos perfeitos de barcos que realmente existiram. Uma tela móvel interativa indica mais detalhes sobre cada barco em particular.

O segundo pavimento, menor, apresenta três galerias: “navigation instruments”, “photo albuns” e “ship ornaments”.

A exposição dos instrumentos de navegação apresenta paredes como um céu estrelado, indicando as constelações usadas pelos navegadores para se guiarem nos mares. No chão, uma réplica de uma carta náutica, e nas vitrines, os instrumentos usados tanto no ar, quanto na água, indicadores de latitude, profundidade, distância, etc. Com o prólogo, o visitante se sente como um capitão de navio, onde uma réplica de uma mesa de capitão apresenta, de forma interativa, cartas marítimas, bússola e compasso.

A próxima sala, em sequência trás a exposição de albuns de fotografias. Juntamente com as embracações eram enviados retratistas e mais tarde fotógrafos para retratar estes mundo distantes tão extraordinários. A cenografia representa uma sala de fumo e jogos, com poltronas confortáveis e uma atmosfera um pouco sombria. Nas paredes são projetadas as principais imagens e seus fotógrafos. Albuns inteiros em facsímile estão à disposição para manuseio.

Finalmente a última sala trás a coleção de ornamentos de navios. Toda galera de época trazia decorações em madeira que serviam tanto como decoração quanto para afastar as almas perdidas do mar. Santos, sereias, homens com cara de mau, ou mulheres bonitas ornavam deste a proa até a popa do navio. A cenografia apresenta estes ornamentos na posição como se encontravam no próprio navios, porém os ornamentos são pertencentes a diversas galeras. Uma projecão dá a entender que uma imensa galera se aproxima de um porto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

compare entre as fotos do museu e as fotos de maquetes o projeto e a execução.

Ficha Técnica:

Museografia Atelier Brückner GmbH

Chefe de projeto: Frank Forell

Assistentes: Kim Machielsen, Robert Fries, Magui Kämpf.

Luz: Lichtontwerpes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Design de Museus e Exposições :: Museografia e Expografia
  • Rio de Janeiro, RJ Brasil
%d blogueiros gostam disto: